No dia 15 de abril começou a 15ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, que se estenderá até o dia 26 de abril. No Paraná, as doses serão oferecidas até o dia 30. Mas por que vacinar contra a gripe?

A gripe é responsável pela morte de inúmeras pessoas todo ano, principalmente de indivíduos idosos – e por tal motivo vemos, anualmente, campanhas de vacinação contra esta doença, destinadas aos maiores de 60 anos.

O vírus da gripe é mutante e faz com que estas vacinas não previnam, necessariamente, a gripe em si, mas determinados tipos causadores da gripe. Assim, antígenos das principais cepas (variações do vírus) e de algumas destas que surgiram mais recentemente, são introduzidos nas vacinas, o que não significa necessariamente que todos os antígenos de vírus causadores da gripe estão ali. A eficiência da vacina varia entre 70% e 90% e imuniza as pessoas por um ano (tempo pequeno, se comparado à maioria das outras vacinas).

Os idosos são o foco das campanhas de vacinação porque estão mais vulneráveis à doença, uma vez que seus sistemas imunológicos, geralmente, não combatem esses vírus de forma tão eficaz e, consequentemente, estão mais suscetíveis a doenças mais graves decorrentes da gripe, como pneumonia e doenças cardiovasculares (vale lembrar que a gripe é a maior causa de doenças e mortes entre os idosos).

No Brasil, segundo Ministério da Saúde, é considerado como grupo de alto risco: idosos, povos indígenas (a partir dos 6 meses de idade), trabalhadores em saúde e população carcerária, os quais recebem a vacina anualmente e sem ônus. Há ainda, no país, 38 Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), que destinam a vacina de forma gratuita e anual aos portadores de cardiopatias, nefropatias, diabetes mellitus, cirrose hepática, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), hemoglobulinopatias e insulinodependentes, transplantados, pacientes em tratamento de câncer, asmáticos, portadores de HIV e miopatias, além dos parentes dessas pessoas, em caso de indicação médica.

Um pouco mais sobre vacinas

As vacinas são produtos biológicos que protegem as pessoas de determinadas doenças. São constituídas por agentes patógenos (vírus ou bactérias que causam doenças) previamente atenuados ou mortos ou por fragmentos desses agentes. Sua função é estimular uma resposta imunológica do organismo, que passa a produzir anticorpos sem ter contraído a doença.

As vacinas possibilitam o desenvolvimento da chamada “memória imunológica”, que nada mais é do que a produção antecipada de anticorpos especializados que reconhecerão o invasor, caso a pessoa seja infectada por ele. Dessa forma, a resposta à infecção real será mais rápida e eficaz.

As vacinas são muito eficientes para prevenir diversas doenças, como hepatite, gripe, tuberculose e rubéola. Graças ao sucesso das campanhas de vacinação, a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é considerada erradicada do Brasil desde 1989. Já a criação de vacinas para doenças causadas por vírus com alta taxa de mutação, como o HIV (causador da aids), ainda é um desafio.

Fonte: Brasil Escola / Site Dr. Drauzio Varella