Ufa, passei!

Sensação de alegria, euforia, muitas felicitações, festividades. Passam-se algumas semanas e o sentimento agora é de expectativa, para saber quem está matriculado em sua turma, como serão as cobranças dos novos professores, que possivelmente serão ainda mais exigentes que os docentes do Ensino Médio. Se não bastasse todo esse novo mundo que se abre ao calouro, também há uma palavra curta que causa o pânico em alguns: o trote! Para alguns significa dar adeus aos cabelos, para outra turma pode significar uma integração com os alunos mais antigos, para outros mais inseguros pode ser o motivo para não ir à Universidade nos primeiros dias.

Você sabe de onde vem o trote?

O trote tem uma história secular. A maioria dos estudiosos do tema concorda que os trotes têm origem na Europa da Idade Média, quando o conceito das universidades começou a ganhar dimensão. No Brasil, os trotes apareceram bem mais tarde em relação aos países europeus. Essas brincadeiras tiveram os seus primeiros registros após a chegada da Família Real, em 1808, época em que surgiram as universidades no país. Mesmo assim, sem tradição, nos primeiros anos, os estudantes brasileiros seguiam o exemplo europeu, copiando principalmente os trotes utilizados na Universidade de Coimbra, em Portugal.

Na Europa da Idade Média, uma cena era comum: os veteranos não se misturavam com os calouros e, quase sempre, as aulas eram realizadas em locais diferentes. Além da separação, os “bixos” tinham as cabeças raspadas por questões higiênicas.

Palavra usada para designar a andadura dos equídeos, o trote significa que os estudantes que ingressam nas universidades precisam “aprender” com os mais antigos a “trotar”, ou seja, caminhar em direção a um novo universo.

Na PUCPR, além do trote realizado pelo veteranos de cada curso, também é promovido o Trote Solidário, competição entre cursos que visa arrecadar alimentos, além de doações de sangue e cadastro para doação de medula.

Veja o resultado abaixo:

POSIÇÃO CURSO ALIMENTO MEDULA SANGUE RESULTADO FINAL
1 Medicina 6185 kg 21 cadastros 125 doações 68.730 pontos
2 Engenharia Civil 6578 kg 1 cadastro 34 doações 67.510 pontos
3 Fisioterapia 1495 kg 2 cadastros 19 doações 15.960 pontos

No total, foram arrecadados cerca de 20 toneladas de alimentos.

Em síntese o trote é um rito de passagem, que deve ser encarado na esportiva, jamais envolvendo humilhações, situações vexatórias ou violência de qualquer forma.  O intuito deve sempre ser a integração, seja no formato de brincadeiras, palestras ou festas.

Mais informações sobre trotes, acesse aqui.