Os especialistas afirmam que não há uma resposta exata em números para essa pergunta. Então a resposta correta é MUITA! Mas qual é a capacidade desta memória? Tem um limite? A gente esquece muita coisa, mas a capacidade do cérebro humano para aprender e armazenar informação parece ser ilimitado. É impossível comparar o cérebro do homem a uma máquina, porque a quantidade de informações que guardamos não pode ser quantificada, mas se fizermos um cálculo aproximado das conexões dos 100 bilhões de neurônios, tendo em conta que com todas estas conexões multiplicamos a capacidade de nosso cérebro, podemos armazenar uns 2.5 petabytes de informação ou mais. Só para que tenham uma ideia, uma capacidade de armazenamento assim permite o armazenamento de 3 milhões de horas de vídeo, uns 300 anos de reprodução contínua. O que sabemos é que o cérebro divide as informações em dois tipos principais de memória:

A memória de curto prazo: armazena apenas de seis a sete itens – como nomes ou números de telefones – por pouquíssimo tempo, às vezes, por alguns segundos.

A memória de longo prazo (explícita e implícita): mantém assuntos importantes ou dados que precisamos lembrar com frequência. Lembranças que podem ser descritas por palavras – como o pedido de um chefe ou o endereço da namorada – ficam guardadas na memória explícita. Outra parte, a implícita, é responsável por tarefas automáticas como ler, escrever ou passar as marchas do carro sem precisar pensar antes. A memória parece uma habilidade infalível, mas o fato é que quando nos lembramos de algo nunca reconstruímos tal cena com fidelidade, nosso cérebro guarda apenas fragmentos do que aconteceu e, na hora de montar o quebra-cabeça das lembranças, contam as emoções e a maneira como a pessoa percebeu o fato ocorrido.

Mas a capacidade de armazenamento ainda depende do tipo de informação e de habilidades individuais. O pianista que decora um concerto inteiro pode esquecer o número do seu próprio celular

“Nosso cérebro é muito seletivo. Você pode lembrar que uma pessoa tem olhos azuis e cabelos loiros, mas a memória real raramente é colorida. Você adiciona cores na medida em que vai lembrando”, diz Robert Birge, professor de bioquímica da Faculdade de Connecticut, EUA, chegou a estimar a capacidade do cérebro humano em 10 terabytes de informação, ou cerca de 3 mil longas-metragens ou 2,5 milhões de músicas.

 

Fonte: Galileu