Com uma população calculada em 7 bilhões de pessoas, o planeta Terra comporta cerca de 6,7 mil idiomas. Ou seja, são 6.912 línguas diferentes faladas ao redor do mundo, uma para cada 985 mil pessoas, mais ou menos. Mas a maioria desses idiomas a gente quase não ouve: 6.520 línguas (cerca de 94% do total) estão na boca de apenas 6% dos habitantes da Terra, enquanto o restante da população mundial usa apenas cerca de 389 idiomas. De acordo com um estudo realizado pela Organização das Nações Unidas para a Educação Ciência e Cultura (Unesco), há línguas faladas por quase 900 milhões de pessoas, enquanto alguns idiomas têm uma média de menos de 100 falantes.

Há em torno de 172 línguas com pelo menos 3 milhões de falantes – do chinês ao tachelhit, do Marrocos e o quimbundo, de Angola. Mas existem quase 500 idiomas que correm o risco de ser extintos. Na China, o chinês predomina, mas há uma língua, o ayizi, com apenas 50 falantes, em um país com mais de 1 bilhão de pessoas.

De acordo com a Unesco, para passar de uma geração a outra, uma língua precisa ser falada por pelo menos 100 mil nativos. Guerras, genocídios, desastres naturais e a difusão de línguas dominantes como o chinês e o russo, assim como as proibições oficiais de se falar uma língua, contribuem para a extinção de um idioma. Por exemplo, um terremoto devastador na Índia matou 30 mil kutchi, então hoje sobraram apenas 770 mil pessoas que falam esta língua.

À beira da extinção, com apenas um falante remanescente, há várias línguas. É o caso do Iuo, de Camarões . O Brasil também tem idiomas na categoria UTI, como o catuquina, o lakondê e o sabanês.

E falando em Brasil…

O português é a sétima língua mais falada do mundo. Somos 178 milhões de falantes em 37 países (sendo o Brasil o representante mais numeroso). À nossa frente, estão, em ordem decrescente, chinês, espanhol, inglês, árabe, hindi e bengali.

 

Fonte: Mundo Estranho