31_08_lapis, caderno e dicionarioConciliar estudos, atividades extras e trabalho não são tarefa fácil. É preciso manter o pique e o cronograma proposto para não se prejudicar no final do ano. Evelise Maria Labatut Portilho, professora do curso de Pedagogia da PUCPR dá alguma dicas para manter o ritmo até o final do ano. Confira!

“É interessante a sensação que temos com relação ao segundo semestre. Depois de um período de férias, parece que o ano passa mais rápido e tanto os compromissos, as atividades de lazer, como as obrigações, se acumulam e ficam mais intensas.

E aí aparece a questão: como nos preparar para dar conta de tudo e obter bons resultados?

Nos acostumados a acreditar que os grandes talentos ou gênios da história não tiveram que fazer muita coisa para chegar aos resultados que os tornaram especiais em suas áreas. Engano.

Até pessoas com grandes talentos, como é o caso Michel Jordan, Morzart ou Pelé tiveram que se dedicar muito para chegarem ao resultado que hoje conhecemos. Foram horas, dias e anos de muita dedicação para desenvolver e aperfeiçoar as habilidades.

Conosco é a mesma coisa. Não nascemos prontos! A inteligência é um processo, não inato e previamente determinado. Precisamos ir a luta se queremos nos dar bem, ter sucesso em nossas profissões.

“A inteligência não é uma aptidão inata, embutida no momento da concepção ou dentro do útero, e sim um conjunto de habilidades em desenvolvimento, conduzido pela interação entre genes e o ambiente. Ninguém nasce com uma quantidade predeterminada de inteligência. A inteligência (e o quociente de inteligência – QI) pode ser aprimorada. Alguns adultos não chegam nem perto de alcançar seu verdadeiro potencial intelectual” (Shenk, 2001, p. 39).

A correria do dia a dia unida a quantidade de informações a que estamos expostos nos faz entrar em contato com momentos de tensão e estresse. E aí, saber dosar nossa energia para cada atividade é o nosso desafio.

Mas se iniciarmos sabendo que somos capazes de amanhã estarmos melhor que hoje, que existem estratégias que adotamos no estudo ou trabalho que são eficazes e outras nem tanto, já é um bom começo.”