14_12_Descobertas científicas da décadaEspecialistas brasileiros relacionaram as descobertas científicas mais importantes da década. Entre os acontecimentos mais marcantes, são listados o seqüenciamento do genoma humano, a descoberta de água em Marte e a descoberta de Ardi, o mais antigo ancestral do ser humano. Confira a lista completa:

1 – Genoma humano é decodificado

No ano 2000 o consórcio público internacional chamado Projeto Genoma Humano, dirigido pelo geneticista Francis Collins, divulgou o sequenciamento do genoma humano. O trabalho teve e tem vários desdobramentos de enorme importância como ajudar cientistas a desenvolverem medicamentos potentes para certos tipos de câncer e testes que ajudam a identificar o Alzheimer. Vale ressaltar que o sequenciamento completo do genoma só foi obtido em 2003.

2 – Água em Marte

Em 31 de julho de 2008, a Nasa anunciou a descoberta de água em Marte pela sonda Phoenix. Durante a exploração do solo marciano, o braço robótico da Phoenix colocou amostras de gelo em um instrumento que detectou a presença de moléculas de H2O. A existência de água em Marte é um indício de que pode haver vida, ainda que simples, nesse planeta. Além disso, a descoberta é um triunfo tecnológico devido à sofisticação dos aparelhos utilizados.

3 – Ancestral mais antigo do ser humano

A descoberta de uma criatura que pode ser o mais antigo ancestral direto do homem foi anunciada, em 2009, por uma equipe internacional de cientistas, na revista “Science”. Os fósseis, da espécie Ardipithecus ramidus, haviam sido encontrados em 1992, na Etiópia. Porém, foi somente em 2009, que seu significado foi compreendido e a importância confirmada. O espécime mais importante é uma fêmea de 1,2 metro, com 4,4 milhões de anos, batizado de “Ardi”, que não é nem um chimpanzé nem um humano.

4 – Células-troncos podem ser obtidas sem embrião

Cientistas dos EUA e do Japão, trabalhando independentemente, inseriram quatro novos genes em fibroblastos, células adultas da pele, permitindo que eles se reprogramassem e passassem a se comportar como células-tronco embrionárias, que podem diferenciar-se em vários tipos de tecidos. A descoberta foi anunciada em novembro de 2007, pelos líderes das equipes. Os estudos podem derrubar o principal obstáculo ético e legal para a obtenção dese tipo de células: o uso de embriões humanos. Essas células podem ser fonte de tratamento para uma grande quantidade de doenças e outros problemas de saúde.

5 – Plutão deixa de ser um planeta

Em 2006, a União Astronômica Internacional rebaixou Plutão para uma divisão inferior de objetos do Sistema Solar, dando-lhe o apelido de “planeta-anão”. Para a IAU (sigla em inglês), um planeta tem massa suficiente para ficar isolado em sua órbita. Ao longo de sua formação e evolução, o planeta “limpa” a região ao seu redor. Isso não acontece com Plutão, pois há vários objetos a sua volta. Além disso, seu tamanho – 2.300 quilômetros de diâmetro – também contribuiu para o rebaixamento.

6 – Descoberta de exoplaneta semelhante à Terra

Astrônomos europeus anunciaram, em abril de 2009, a descoberta do menor planeta já encontrado fora do Sistema Solar. O exoplaneta (ou planeta extrassolar) tem aproximadamente duas vezes a massa da Terra e recebeu o nome de Gliese 581e. Ele integra um sistema de quatro planetas que giram ao redor de uma pequena estrela na constelação de Libra, a 20 anos-luz de distância do nosso sistema solar. A descoberta é muito importante, uma vez que dos 340 exoplanetas já descobertos, quase todos são gigantes gasosos.

7 – Células da medula óssea podem provocar metástases

Em 2005, pesquisadores da Universidade de Cornell (EUA), sob a liderança de David Lyden, mostraram que o grupo de células não transformadas da medula óssea está envolvido na ocorrência de futuras metástases. Estimulado pelo tumor, essas células dirigem-se aos vasos sanguíneos, onde se associam a outras células, criando um nicho que proporciona às células tumorais um local de fixação e nutrientes para sua multiplicação. A identificação dessas células permitirá o desenvolvimento de tratamentos que evitem a recorrência do câncer.

8 – Braço mecânico controlado por mente de macaco

Pesquisadores da Universidade Duke (EUA) anunciaram em outubro de 2003 a implantação de eletrodos no cérebro de macacos, que lhes permitiu mover um braço mecânico apenas com sinais nervosos. A criação é o primeiro passo para a incorporação de equipamentos eletrônicos ao tratamento de doenças, o que poderá ajudar na recuperação de pessoas paralíticas ou que sofreram derrame cerebral.

9 – Descoberta do grafeno

O Prêmio Nobel de Física 2010 foi atribuído a dois cientistas de origem russa, André Geim e Konstantin Novoselov, da Universidade de Manchester, no Reino Unido. Usando um pedaço de fita adesiva, um lápis e uma corrente elétrica, eles descobriram em 2004 o grafeno, uma forma revolucionária do grafite. O novo material supera consideravelmente em rapidez os transistores clássicos de silício, podendo ser usado na fabricação de computadores mais eficazes. O grafeno é o melhor condutor de calor conhecido até hoje.

10 – Criação de bactéria controlada por um genoma sintético

Em maio de 2010, o grupo de pesquisadores do geneticista norte-americano Craig Venter anunciou a criação de uma bactéria, a Mycoplasma mycoides, a primeira célula controlada por um genoma sintético, composto por 1,08 milhão de pares de bases dispostas em um único cromossomo. A partir da invenção, podem ser realizados estudos para a produção de micro-organismos artificiais para serem usados na produção de vacinas e biocombustíveis, para descontaminar águas poluídas, entre outras aplicações.

Fonte Uol