baloes_bichosSabe-se que o gás hélio é a segunda substância mais abundante no universo. Estima-se que 24% da massa da Via Láctea é formada por esse elemento.

Entretanto, aqui na Terra, o único modo de obter o gás hélio é através da exploração de rochas e a previsão é de que em 25 anos as reservas desse elemento se esgotem.

Nesse momento você pode estar se perguntando sobre o futuro dos balões de aniversário, correto? Mas esse não é o maior problema.

Equipamentos de ressonância magnética, reatores nucleares e telescópios espaciais usam componentes que só podem ser resfriados com hélio líquido, e o pior, ele não pode ser substituído. Seu ponto de ebulição é de 267ºC abaixo de zero, o menor ponto de ebulição entre todos os elementos conhecidos.

Como não é possível extraí-lo do ar a preços viáveis, nem produzi-lo artificialmente, a solução, segundo o ganhador do prêmio Nobel de Física Robert Rihardson é deixar os preços seguirem a lei de oferta e procura. Isso pode ajudar a preservar por mais tempo as reservas, mas com certeza encontraremos balões de festas sendo vendidos a preços elevadíssimos.