Objetos pulando fora da tela deixaram de ser assunto somente em filmes de ficção científica. Uma nova tecnologia, chamada de realidade aumentada (RA), está revolucionando a maneira como interagimos com as máquinas.

A realidade aumentada teve suas origens nas etiquetas de códigos de barras. Como elas não conseguiam mais trazer todas as informações necessárias através de sua leitura foram criados os códigos 2D.

Esses códigos permitem projetar objetos virtuais em uma filmagem do mundo real, expandindo as fronteiras da interatividade e possibilitando o uso de novas tecnologias. Para que a combinação funcione, alguns itens são necessários para sua visualização: um objeto real que possua uma imagem de referência, uma webcam para transmitir a imagem e um software para interpretar o sinal transmitido pela câmera.

Essa nova tecnologia não possui limite de aplicações. Sua utilização pode incluir o entretenimento, jogos, medicina (no caso de cirurgias remotas), manuais de instrução interativos, entre outros.

Muitas ações já estão sendo realizadas com a ajuda dessa tecnologia, como é o caso do projeto do catálogo da Ikea e das camisetas da T-post, que utiliza a brincadeira da “pedra, tesoura e papel”. Aqui no Brasil, o 3º uniforme da equipe de futebol da Portuguesa trará um código de realidade aumentada e uma promoção online.

No vídeo acima, o arquiteto Keiichi Matsuda, mostra como seria a realidade aumentada se a utilizarmos em nosso dia a dia, contextualizando-a com objetos e mostrando informações de tudo o que tem e funciona em sua cozinha.

Então, não se espante se daqui a algum tempo isso tornar-se mais próximo da sua realidade.

Dica do Brainstorm9 e do Mundo Estranho.