paidosburros_capaMuita gente acha que uma boa redação de vestibular depende apenas de conhecimento e opinião formada sobre um assunto. Isso não é verdade. Saber se expressar bem, de forma original e criativa, também conta pontos e causa ótima impressão entre os avaliadores.

Evitar expressões caquéticas, clichês e lugares-comuns faz toda a diferença em uma redação. Afinal, não é nenhuma novidade dizer que “o futebol é uma caixinha de surpresas” ou que “a vida é feita de pequenas coisas”. Para você fugir de chavões como esses eu sugiro a leitura do recém-lançado O Pai dos Burros, que traz 4.500 expressões reunidas ao longo de quase 40 anos pelo jornalista Humberto Werneck. Lá você vai encontrar aquelas frasezinhas batidas que ouvimos por aí, e que devem passar bem longe da sua prova.

E já que falei de clichês, você sabe de onde vem essa palavra? O dicionário Aurélio explica que é uma chapa metálica gravada em relevo, usada para imprimir imagens e textos por meio de uma prensa tipográfica. Era desse jeito que os jornais eram feitos antigamente, assim como as fotografias, que depois de reveladas eram prensadas em uma placa de zinco sobre madeira e transformadas em “carimbos”. Graças a esse trabalhão todo era possível publicar de novo uma mesma foto, ou seja, um mesmo clichê. É por isso que hoje o termo serve para expressar ideias repetitivas, cristalizadas, congeladas no tempo – tudo aquilo que pega muito mal em um texto de vestibular.